QA Monkey erra

 

Ruarí começou a trabalhar como testador de navegadores há 10 anos, mas ainda tem coisas para aprender.

Embora grande parte do meu trabalho do dia-a-dia envolva o gerenciamento de testes e lançamentos, de vez em quando tive a oportunidade de corrigir e melhorar partes do navegador, normalmente relacionadas à embalagem do Linux.

Durante o “off-time” na Islândia, trabalhei em questões de desenvolvimento, principalmente relacionadas à Widevine e à mídia proprietária. Meu post do blog de dois dias atrás, anunciou alegremente o resultado desse trabalho.

Houve uma questão menor, no entanto. Embora o título desse post do blog indique “Suporte ao Better Widevine (EME) para Linux”, nenhuma das versões do Linux oferecidas na atualização é capaz de usar o Widevine… de jeito nenhum!

Então como é que isso aconteceu? Bem, enquanto trabalhei na busca automática Widevine e nas atualizações, muitos dos meus colegas trabalharam na atualização do Chromium 71. Temos milhares de testes automatizados, mas ainda há várias coisas que são testadas manualmente (o Widevine é um deles). Quando finalmente enviei minhas alterações para nossa ramificação principal, ainda estávamos no Chromium 70 e minhas correções funcionavam. O próximo commit, no entanto, foi a grande atualização do Chromium e sem o meu conhecimento (já que eu nunca testei isso), isso quebrou o carregamento do Widevine no Linux.

Na quarta-feira, quando fizemos o teste final antes de liberar o instantâneo, minha colega Maria perguntou se eu tinha verificado o Widevine no Linux nas versões mais recentes. Na minha cabeça, eu supus que ela quis dizer o meu sistema para buscá-lo, então eu devidamente verificado e Widevine foi buscado. Tarefa concluída! O que eu não fiz, na verdade, é verificar que o Vivaldi para Linux iria carregar o lib Widevine que foi buscado, porque eu estava muito ocupado escrevendo o post do blog dizendo como tudo seria ótimo agora!

Foi só quando eu li mais comentários e feedback do blog naquela noite, que lentamente me dei conta do que havia acontecido.

Então, o que vem depois? Bem, a boa notícia é que temos uma correção para o carregamento do Widevine no Linux (você o verá no próximo snapshot). Quanto a mim, vou usar o macacão de vergonha e pensar nas minhas ações. Eu provavelmente também deveria adicionar um problema conhecido (bastante embaraçoso) ao último instantâneo.

Obs: Essa foi uma história de uma das pessoas do TEAM VIVALDI, muito interessante esta leitura, pois não sabemos de tudo o tempo todo, e temos que ter a humildade de sempre evoluir com nosso erros. Parabéns ao integrante Ruarí Ødegaard pela grandeza.

Vivaldi